teste

terça-feira, 7 de novembro de 2017

A recessão acabou: e daí?

Na semana passada, o Comitê de Datação de Ciclos Econômicos anunciou que a recessão iniciada no segundo trimestre de 2014 se encerrou no quarto trimestre de 2016 (11 trimestres), não só a mais longa desde 1980 (empatada com a observada entre 1989 e 1992), como também a associada à maior queda de produto, 8,6%, um pouco pior do que a registrada durante a crise da dívida, de 1981 a 1983.

Isso significa que a economia, que vinha em processo de encolhimento a partir de meados de 2014, interrompeu sua queda e voltou a crescer moderadamente, uma boa notícia, mas que precisa ser qualificada.

Assim como inflação mais baixa denota preços subindo mais vagarosamente (e não preços em queda; fenômeno que chamamos de deflação), o fim da recessão não equivale a dizer que a economia está pujante; apenas que parou de piorar.

Dados do segundo trimestre deste ano, já com alguma melhora, dão uma ideia de quanto ainda falta para a recuperação: o PIB ainda se encontra 7,5% (R$ 132 bilhões) abaixo do observado no primeiro trimestre de 2014, enquanto a demanda doméstica (consumo das famílias, investimento e consumo do governo) caiu quase 11% (R$ 197 bilhões) no período, valor apenas parcialmente compensado pelo aumento do superávit nas transações com o resto do mundo.

Já o desemprego, ajustado à sazonalidade, se encontrava em 12,8% no segundo trimestre de 2017, contra 6,7% no primeiro trimestre de 2014, associado à perda de quase 1,6 milhões de postos de trabalho neste intervalo, lembrando que ao longo do período a População em Idade Ativa aumentou em 7,3 milhões de pessoas, enquanto a População Economicamente Ativa cresceu 5,4 milhões.

Considerando que o crescimento potencial do país seja algo da ordem de 2,2% aa, conforme mencionamos em coluna recente, seriam necessários quase 9 anos de expansão a 3,5% aa para que voltássemos ao nível de produto potencial do país, ou pouco menos de 7 anos, caso nosso crescimento médio retomasse o ritmo de 4% aa observado durante o longo ciclo positivo de preços de commodities, entre 2004 e 2011. Pela ótica do desemprego, mesmo sob os ritmos de expansão acima considerados, precisaríamos de 6 a 8 anos para retomar os níveis vigentes antes da recessão.

Resumindo, muito embora a recessão tenha ficado para trás, a “sensação térmica” da economia ainda se encontra distante daquilo que deixaria famílias e empresas em condição mais confortável. E, mesmo com a provável aceleração do ritmo de crescimento no final deste ano e ao longo do ano que vem, será difícil superar tal sensação.

A verdade é que o estrago da Nova Matriz, pobre órfã, foi muito profundo. Parte do dano foi reparada, em particular do lado regulatório, onde houve boas iniciativas (a transição para a TLP, a gestão da Petrobras, retomada dos leilões para exploração de petróleo, para citar apenas algumas), mas há consequências muito mais duradouras do lado fiscal, cuja reversão tem se mostrado extraordinariamente difícil, sugerindo se tratar de tarefa que alcança bem mais do que um mandato presidencial.


Tendo obtido sucesso moderado ao estancar a recessão, precisamos agora melhorar a sensação térmica, limpando de vez o legado desastroso da Nova Matriz e, principalmente, ignorando conselhos dos pais (ausentes) deste desastre.



(Publicado 1/Nov/2017)

Reações:

21 comentários:

Alex, responda rápido:

Cite 3 períodos nos últimos 120 anos em que uma recessão tenha durado mais que a atual.
-Tempo!

O problema não foi a nova matriz,foi a corrupção do PT.Belluzzo,Bresser Holland não tem nada a ver com a nova matriz.

"Belluzzo,Bresser Holland não tem nada a ver com a nova matriz."

http://www.valor.com.br/brasil/2942048/pais-mudou-sua-matriz-economica-diz-holland

www.valor.com.br/brasil/3834138/velha-matriz-esta-sendo-questionada
23 de dez de 2014 - Interlocutor do governo, Belluzzo defende, porém, a chamada nova matriz econômica


Esta matéria é de 2014,ninguém sabia do nivel de corrupção,do mau uso do BNDES.

"Cite 3 períodos nos últimos 120 anos em que uma recessão tenha durado mais que a atual.
-Tempo!"

Samuca já fez isto:

http://blogdoibre.fgv.br/posts/replica-braulio-borges-essa-recessao-foi-pior-ou-segunda-pior-em-120-anos

"O problema não foi a nova matriz,foi a corrupção do PT.Belluzzo,Bresser Holland não tem nada a ver com a nova matriz."

"Desde 1991 a política econômica do Brasil se pautava pelo ortodoxia convencional ou o consenso de Washington. A partir, porém, de 2006, já com Guido Mantega no Ministério da Fazenda e Luciano Coutinho no BNDES, o governo Lula começou a mudar a estratégia de desenvolvimento em direção ao novo desenvolvimentismo.
Em 2009 um passo decisivo nesse sentido foi dado com o início do controle da entrada de capitais. Agora, no nono mês do governo Dilma Rousseff, a decisão do Banco Central de baixar a taxa de juros, surpreendendo o mercado financeiro, e a decisão do governo de taxar a importação de automóveis com menos de 35% de conteúdo nacional consolidam essa mudança. "

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/ft2609201111.htm

"Esta matéria é de 2014,ninguém sabia do nivel de corrupção,do mau uso do BNDES"

1) Ninguém quem, cara-pálida?

2) Deixar de apoiar em 2015, quando o barco fez água, é fácil; interessa saber quem apoiava até 2014, quando a cagada só estava clara para quem entende do riscado

Foi o Mantega que foi desonesto ,fazendo a matriz dar errado.



“Comunicado aos cidadãos do Brasil:

Nos últimos dias o Dr. Adolfo Sachsida foi apresentado pela imprensa como o “conselheiro” do deputado Jair Bolsonaro. Conforme nota já divulgada, houve sim conversas com o talentoso economista.

Também entendemos o interesse da sociedade pela equipe de acadêmicos e profissionais que estão integrando nosso time.

Nesse sentido, podemos antecipar que já contamos com um sólido grupo, composto por professores de algumas das melhores universidades do Brasil e da Europa. Indivíduos que são referência na academia, com vários papers publicados em revistas ranqueadas, com larga experiência profissional e sem máculas em seus respectivos históricos.

Evidentemente que nenhum dos membros de nossa equipe defende ideias heterodoxas ou apreço por regimes totalitários.

Sabemos que estamos lidando com a vida e o futuro de centenas de milhões de pessoas. Assim, afirmamos que, absolutamente, todas as propostas serão pautadas pelo respeito aos contratos, respeito às leis e pelo TOTAL respeito à Constituição Brasileira.

Um amplo trabalho vem sendo desenvolvido há alguns meses e já existiram dezenas de reuniões. Não se tratando de algo rápido ou superficial.

Sabemos do momento dramático pelo qual o Brasil atravessa e estamos cientes que o nome de Jair Bolsonaro representa esperança de dias melhores para mais de duzentos milhões de brasileiros. Todavia, pedimos um pouco mais de paciência a todos, para que tudo seja feito de forma profissional, séria e ética. Como sempre será feito!

Brasil acima de todos e Deus acima de tudo.”

Carta de Bolsonaro,poderia divulgar?


https://www.oantagonista.com/brasil/exclusivo-carta-aos-brasileiros-de-bolsonaro/

"Foi o Mantega que foi desonesto ,fazendo a matriz dar errado."

E os demais apoiaram até o final...

Basta perguntar a eles se a opinião deles é a mesma de 3 anos atrás,se eles concordam com a forma que foi usada BNDES.O próprio Samuel Pessoa reconhece que os heterodoxos estão mais racionais.

"Basta perguntar a eles se a opinião deles é a mesma de 3 anos atrás"

1) Irrelevante: o mal já está feito e com apoio deles;

2) Depois que deu m... a coisa mais difícil do mundo é achar quem apoie a Nova Matriz; até o pai dela (Marcio "Maria Antonieta" Holland) critica a política fiscal...

http://maovisivel.blogspot.com.br/2016/05/a-educacao-de-marcio-holland.html

O candidato que tem uma proposta real de nacional desenvolvimentismo é Ciro Gomes.

"O candidato que tem uma proposta real de nacional desenvolvimentismo é Ciro Gomes."

Não é pouco, no presente contexto, bater o recorde de cretinice...

Alex,

é importante apontar para o ponto de inflexão entre o que poderíamos chamar 'período de predominância de medidas ortodoxas'(1993-2001) até a plena adoção do raciocínio símio-heterodoxo no mainstream das políticas públicas no braziu (2005 em diante). É bom lembrar que no segundo mandato de FHC, o vampiro anêmico e outras tristes figuras cepalinas do então partido do governo já vinham minando as bases da agenda de reformas e modernização dos aparelhos de estado. O que se segue nos 4 anos iniciados em 2001 é uma virada de mesa do lado fiscal e a tomada gradual e constante dos postos relacionados as políticas monetárias. A nova matriz faz parte do arcabouço de merdas heterodoxas adotadas entre 2005 e 2015, e não não foi concebida e implementada do dia para a noite, mas sim arquitetada e executada de forma gradual e paulatina e, principalmente, apoiada (mesmo que parcialmente) por muitos garbosos e ilustres economistas, alquimistas e afins das mais diversas matizes.

Alex, me corrija se eu estiver falando merda, mas o pib potencial que você estimou diz respeito ao pib potencial médio embutido nas séries historicas de pib e desemprego. Nada garante que hoje o pib potencial esteja crescendo a 2,2%. Na verdade, está crescendo bem abaixo disso, dada a queda do investimento liquido e a perda de eficiencia agregada. Em outras palavras, concordo que o pib potencial deve crescer no longo prazo cerca de 2,2% (chute educado pro Focus, por exemplo), mas atualmente cresce bem menos que isso.

Se o que falei esta correto, levara bem menos tempo do que seu texto sugere para fecharmos o hiato do produto. Pelas minhas contas, fecharemos la pro inicio de 2019.

O que acha?

Abcao

Economista X

O senhor ainda vai para o programa do Waack?

"Alex, me corrija se eu estiver falando merda, mas o pib potencial que você estimou diz respeito ao pib potencial médio embutido nas séries historicas de pib e desemprego. Nada garante que hoje o pib potencial esteja crescendo a 2,2%. Na verdade, está crescendo bem abaixo disso, dada a queda do investimento liquido e a perda de eficiencia agregada. Em outras palavras, concordo que o pib potencial deve crescer no longo prazo cerca de 2,2% (chute educado pro Focus, por exemplo), mas atualmente cresce bem menos que isso."

Concordo 100%. O mesmo exercício, estimando a Lei de Okun para o período IV-2011 a II-2017 sugere crescimento potencial de 1,2% (contra 2,8% entre II-2000 e IV-2005 e 3,4% entre I-2006 e III-2011).

Abs

"O senhor ainda vai para o programa do Waack?"

Só se continuar o programa do William; mas, se continuar, eu obviamente irei

Sai Valor/Pravda ,entra Valor/Diário do Povo : artigo de campineiro saudando a Era Xi publicado ontem. Há cem anos atrás o cara estaria saudando a Era Lenin.

"O problema não foi a nova matriz,foi a corrupção do PT.Belluzzo,Bresser Holland não tem nada a ver com a nova matriz."

"Foi o Mantega que foi desonesto ,fazendo a matriz dar errado."

LOL
Só pode ser um troll fanfarrão!